Três Dias em Buenos Aires – Dia 02

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

No segundo dia em Buenos Aires acordamos cedo para aproveitar bastante, era sábado e o centro da cidade não estava com aquele movimento que fica durante a semana.

Um dos ítens de um bom planejamento nas viagens é saber como se deslocar, os pontos turísticos e as distâncias entre eles. Em relação aos pontos turísticos, a cidade de Buenos Aires pode ser dividida em 3 partes:

O Microcentro – onde ficam os pontos turísticos mais tradicionais e a sede do governo argentino.

A região de Palermo e Recoleta, ao norte, onde se concentra a região mais nobre e charmosa da cidade com os jardins, livrarias, cafés, etc

A região de La Boca e San Telmo, ao sul, que é a  mais antiga e com construções mais populares e pontos turísticos com um clima mais descontraído.

mapa-buenos-aires

No planejamento, vimos a hipótese de comprar o bilhete para o ônibus turístico, pois ele dá a opção de ir parando e pegá-lo novamente, em um trajeto circular.

O terminal fica na Av. Pres. Roque Sáenz Peña 728, C1110AAP CABA, Argentina.

Ao chegar no local de comprar os bilhetes  dava pra ver a enorme fila que se formava, já não gostamos muito, pois parecia que não havia ônibus disponíveis. O local onde compra o ticket só aceita pagamento em dinheiro, podia ser em real ou dólar, só que o câmbio deles era completamente desfavorável, enquanto nos outros lugares era de 4 pesos argentinos para 1 real, ali era de 3 pesos argentinos para 1 real.

Os preços do ônibus eram:

Uma passagem do dia:
– Adultos com mais de 12 anos: $ 350 pesos argentinos.
– Crianças de 4 a 12: $ 175 pesos argentinos.
– Crianças menores de 4 anos: grátis.

Passagem dois dias:
– Adultos com mais de 12 anos: pesos $ 470 pesos argentinos.
– Crianças de 4 a 12: $ 235 pesos.

Como éramos em 5 pessoas, daria em torno de 500 reais. Quando estávamos na rua decidindo o que faríamos, vimos que havia um táxi grande, que cabia nós 5, e ele trabalhava com o preço fechado, isso é, 5h à disposição por AR$ 1350, o equivalente a mais ou menos R$ 340. Achamos que assim aproveitaríamos mais, e realmente, foi uma excelente escolha para nós que tínhamos pouco tempo.

No final o nosso roteiro ficou da seguinte forma:

Dia 01 – Centro de Buenos Aires

Dia 02 – Palermo, Caminito e Puerto Madero

Dia 03 – La Boca e Feira de San Telmo

Seguimos então para a região de Palermo, onde as paradas do táxi ficaram nessa ordem:

Congresso Nação Argentina – O Palácio do Congresso da Nação Argentina foi projetado pelo arquiteto italiano Vittorio Meano em 1897 e concluído pelo arquiteto belga Julio Dormal em 1906.

dsc_0541-1

 

Palácio das Aguas Corrientes –  Localizado na Av. Córdoba, ocupa um quarteirão e a beleza e detalhes da construção fica difícil de acreditar que foi construído em 1894 por uma necessidade de saneamento público. Nessa época, com o aumento populacional, os moradores começavam a sofrer com doenças como cólera, febre tifóide e difteria, na época a cidade já tinha em torno de 440 mil habitantes. O interessante é que a arquitetura fica só na faixada, por dentro se enconde 12 tanques gigantescos de água totalizando 72 milhões de litros.

dsc_0546

 

Livraria El Ateneo – Vocês vão ver livrarias El Ateneo em diversos locais da cidade, pois é uma rede de livrarias, mas a  mais bonita e um ponto turístico imperdível fica localizada na Av. Santa Fé, 1860. Essa foi escolhida pelo jornal britânico The Guardian como a segunda livraria mais linda do mundo (a primeira é a livraria a Selexyz Dominicanen Boekhandel na cidade holandesa de Maastricht). O interessante é que a livraria funciona no prédio era um antigo teatro, vale muito a pena a visita.

img_4900

Cemitério da Recoleta – Apesar de ser um ponto turístico bastante frequentado, acabamos só passando pela frente, ninguém se animou em entrar. Achamos meio mórbito ficar vendo túmulos bonitos…kkkk

Floralis Genérica – é uma escultura metálica situada na Plaza de Las Naciones Unidas entre a Avenida Figueroa Alcorta e Austria, no bairro Recoleta. Presenteada à cidade pelo arquiteto argentino Eduardo Catalano, O que chama a atençao na escultura, alem do seu tamanho, é que ela abre e e fecha as pétalas conforme o horário do dia.

 

dsc_0562

 

Planetário – O Planetário Galileo Galilei está localizado na interseção da Avenida General Sarmiento e Belisario Roldán, dentro do Parque Tres de Febrero, no bairro de Palermo. Não chegamos a entrar, mas quando for novamente para Buenos Aires pretendo conhecer com calma e fazer visitas guiadas. O atrativo externo é o meteoro exposto….

dsc_0574

 

El Rosedal – Um dos lugares que achamos mais lindo e bem cuidado da cidade. O parque fica localizado no bairro de Palermo e faz parte do complexo do Parque Tres de Febrero. Tem por volta de 3.400 m² de área, tendo sido inaugurado em 24/11/1914.

 

 

dsc_0591

 

Estádio do River Plate -O estádio Monumental é de propriedade de Clube Atlético River Plate, é o maior estádio da Argentina e está entre as dez maiores da América Latina. Estima-se que tem mais de 65.000 assentos. Foi inaugurado em 1938. Fica localizado na Avenida Figueroa Alcorta 7597, bairro Nuñez.

 

dsc_0637-2

 

Resolvemos ir para o Caminito nesse dia,  almoçamos por lá e assistimos a um show de tango.

Caminito é a rua mais famosa da Cidade Buenos Aires. Também o mais colorido e visitadas pelos turistas. Na área onde hoje está Caminito, em 1898 passou a linha do trem. Em 1928, a ferrovia fechou, e no terreno foi abandonado. Em 1950 um grupo de moradores, entre os quais estava o famoso pintor Boca Quinquela, decidiu restaurar o terreno. O pintor batizou a rua como “Caminito” pelo título do popular tango de 1926, de Peñalosa e Filiberto. Ao passeio foram somando-se as doações de diferentes artistas. Em 1959, Caminito foi transformado em um museu a céu aberto e sem portas.

dsc_0655dsc_0681

dsc_0644

 

Depois de sair a passear e fazer algumas lembrancinhas e alfajores do Caminito pedimos para o taxista nos deixar no MALBA(Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires) para poder ver tudo sem pressa. Já estava perto das 16h e já estava no fim do tempo do tour.

dsc_0705-1

Árvore dos Desejos

dsc_0701-1

Obra de Frida Kahlo

Saindo do Malba fomos passear e jantar no Puerto Madero.

O Porto Madero foi construído pelo engenheiro Eduardo Madero em 1887. Esta porta parou de funcionar em meados do século XIX e foi abandonado até 1990, quando começou a reciclagem de velhos celeiros, molinhos e galppones para utilização como residências, escritórios e lojas. Hoje é um dos locais mais sofisticados e elegantes da cidade, sendo muito visitado pelos turistas.

dsc_0711

Puente de la Mujer

Paramos para jantar no Restaurante La Parolaccia, o local é muito lindo, serve basicamente comida italiana, e fica de frente para o Puerto Madero onde se janta vendo as luzes que iluminam o porto. Nesses locais o vinho é mais barato que a água, e a conta acaba sendo bem mais barata do que jantar aqui no Brasil num restaurante da mesma categoria. A conta para 5 pessoas, com 2 garrafas de vinho saiu em torno de R$ 350.

dsc_0729

Após sairmos do Puero Madero voltamos para o hotel. Domingo seria o nosso último dia e ainda havia muito a conhecer.

 

 

 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: